600 pedidos de realojamento nos bairros sociais

Continua a procura de habitações para os bairros sociais da CASFIG.
Nesta altura, os serviços da Coordenação de Âmbito Social e Financeiro
das Habitações de Guimarães, têm em carteira cerca de 600 pedidos de
realojamento nos seus bairros sociais. Segundo Cristina Dias da CASFIG, na
origem destas solicitações não estão propriamente problemas de degradação
habitacional, mas sim dificuldades económicas que levam muitos agregados
familiares a procurarem rendas calculadas em função dos rendimentos.
Porém,
a filosofia da CASFIG não é apenas oferecer a chave de uma nova casa. Além do
tecto, os serviços estão empenhados em proporcionar aos residentes um projecto
de vida, intervindo na resolução dos seus problemas sociais.

In
"Guimaraes Digital"
12/Julho/2004

Posted in Sem categoria

CASFIG comemora o Dia Mundial da Criança

A CASFIG comemora hoje o Dia Mundial da Criança, com uma mega-festa que vai
decorrer no Pavilhão Multiusos.
Trata-se de uma iniciativa dirigida a
todas as famílias residentes nas habitações sociais geridas pela CASFIG.
O responsável da CASFIG, Domingos Bragança, realçou que os moradores das
habitações sociais estão integrados num projecto de intervenção social que é uma
referência.

In "Guimarães Digital"
30/Maio/2004

Posted in Sem categoria

Rendas em função de rendimentos

Nos bairros sociais geridos pela CASFIG, as rendas dos 380 fogos oscilam em função dos rendimentos dos agregados familiares. 
Após a primeira actualização registada no início do ano, alguns moradores foram surpreendidos com o aumento ou com a diminuição do valor mensal. Tudo porque o regime de renda apoiada prevê uma actualização constante da verba a pagar pelos inquilinos. 
Por norma, a Cooperativa faz a actualização no início de cada ano. Porém, em
função das necessidades dos agregados familiares.
O mesmo acontece nas
situações de desemprego. Nos novos bairros sociais, onde existem 380 fogos sob a
tutela da Cooperativa, tem que ser aplicado o regime de renda apoiada.
Um
regime que não contempla as despesas adicionais com medicação, nem educação. No
entanto, a CASFIG tenta encontrar outras formas de apoio social. De qualquer
modo, apesar de ser suspectível a alterações em função dos rendimentos
colectados, "a renda apoiada estabelece um valor mínimo e um máximo: O mínimo é
1% do salário mínimo nacional e o máximo é um preço técnico, calculado em função
valor do fogo no mercado.

In "Guimarães Digital"
2/Maio/2002

Posted in Sem categoria

Deputados da AR visitaram habitações sociais de Guimarães

Leonor Coutinho, ex-secretária de Estado da Habitação, considera que as
condições da habitação dos portugueses melhoraram significativamente na última
década. As conclusões foram retiradas depois da visita que efectuou juntamente
com outros deputados a empreendimentos na área da habitação social em Guimarães.
Os deputados visitaram Fermentões e Creixomil, freguesias onde existem
blocos de habitação geridos pela CASFIG e também a Urbanização da Cooperativa
"Vimaranes", em Fermentões.
Segundo Domingos Bragança, a empresa municipal
CASFIG é exemplar não obstante algumas polémicas de que tem sido alvo.

Leonor Coutinho,considera que Guimarães foi palco no passado de más experiências
a nível da habitabilidade, tendo a este propósito referido os alojamentos de má
qualidade feitos nos anos 60. Segundo esta responsável, o corte de bonificações
decretado pelo governo vai afectar muitas familías carenciadas, sobretudo na
nossa região, onde existem muitos jovens e uma taxa de natalidade bastante
elevada.

In "Guimarães Digital"

17/Junho/2002

Posted in Sem categoria